quarta-feira, outubro 10, 2007

O tempo que não traz paz


Começo a ser doença obsessiva
ao repetir-me por poemas isto:
as tuas invasões à minha paz.
(Podia até em jeito original
pôr aqui umas notas sobre ti:
cf., vide: textos tal e tal)
Mas é que a minha paz fica toda es-
tragada quando te penso amor.



Ana Luísa Amaral in “Imagens”
Imagem: Pintura de Rodrigo Mota


Canela

6 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que voltas.Há sempre uma nesga de tempo para se fazer aquilo de que se gosta e para quem gostamos. Apesar do curto interregno, já tinha saudades. Hoje comecei bem o dia, quando espreitei e te vi...

Canela disse...

Obrigada! Eu nem sei o que diga! Julgo que posso dizer que comecei mal o dia. Andei a tratar o meu pai que teve uma gastroenterite, deduzo eu agora, que deveria ser vírica. Vai dai, desde ontem comecei eu a ter os sintomas, passei uma noite horrível, ando a chá com açúcar e muita água. O chá eu adoro, com açúcar nem tanto, mas tem que ser, porque não consigo ingerir mais nada. Como se tudo isto não fosse suficiente, hoje, tenho a minha mãe nas mesmas condições. Mas, como nem tudo é mau, na vida, depois de me levantar às 6 da manhã para ir trabalhar quase moribunda, recebi, quem sabe, a melhor das notícias.
Obrigada pelo teu incentivo. Eu também que vou espreitar e continuo a aguardar.
Beijinhos Grandes Linda

Anónimo disse...

Gosto imenso da pintura!
Parece-me algo semelhante com a vida de muitos que conhecemos!
Impossivel de segurar!
E depois...fica a paz!
Piro

Canela disse...

Olhando-a por outro prisma, pode mostrar-nos o quanto frágeis são os equilíbrio, e até a vida. Existem sempre ténues fios que nos ligam aos nossos "emaranhados" existenciais.
Também gosto imenso desta pintura, sobretudo do imenso azul, que me transmite sempre uma enormíssima sensação de paz.

Rodrigo Mota disse...

Oi como vai? estou muito feliz pelos comentários sobre o meu trabalho, e agradeço desde já pela ética como está sendo tratado, me dando o devido crédito na pintura, mas o que me deixa curioso é o fato de não saber como você me descobriu

Canela disse...

Eu é que fiquei muito feliz com o seu comentário.
Muito obrigada.
A vida tem de facto coincidências engraçadas. Hoje à tarde dei por mim a pensar se não me devia dedicar à pintura. Adoro pintar, e a pintura tem um enorme efeito terapêutico sobre mim. Mas, infelizmente nunca me resta tempo, pelo menos o tempo mínimo exigível. Assim sendo, sem tempo para pintar, pelo menos resta-me algum tempo para me deleitar com as magníficas obras de arte que vou oferecendo aos olhos e, com as quais vou relaxando a alma.
Não sei exactamente de onde retirei a imagem que coloquei no blog, o que é uma falha minha, julgo que pode ter sido do “Google” ou do sítio “Sonâmbula” mas não tenho a certeza. A única coisa que sei é que, sinto uma enorme gratidão por quem oferece aos outros “asas” em “mundos perfeitos”.
Ao entrar no seu “Blog” fiquei ainda mais encantada. Muito obrigada, sinto-me imensamente lisonjeada por ter passado pelo “Jasmim e Canela”