terça-feira, outubro 02, 2007

Nuvens de luz

Nos meus maiores momentos de desânimo, a minha mãe costuma dizer-me: filha quando achares que Deus te fechou as portas, olha em volta e observa as janelas.
Nas nesses momentos, a minha cegueira impede-me de encontrar a luz, nem que seja na mais ínfima nesga. Só me apetece dormir, dormir e não acordar, ou acordar para verificar que tudo não passou de um sonho mau.
Mas, Deus conhece todas as minhas limitações e empurra-me sempre para a porta aberta, ou para a nesga de luz. Hoje, não foi diferente. Com os olhos semicerrados para tentar minimizar uma fortíssima dor aguda, recebo uma mensagem que dizia:
Tia Jasmim, sou o P. e nasci hoje (dia 1 de Outubro de 2007), sou lindo, muito lindo. Portei-me muito bem e a minha mamã nem teve tempo de preencher o formulário no hospital, porque eu nasci muito depressa, mas muito de mansinho. A mamã quase não se apercebeu. Sou um rapagão grande, dorminhoco e comilão.
E, eu digo-te meu amor: que hoje fizeste chover luz. Sê bem-vindo meu amor lindo.


Canela

2 comentários:

Licas disse...

Tens que ser sempre tu a salvar-me. ;-) Nunca te vou conseguir agradecer tudo o que fazes por mim. Muito, muito obrigada!
1 bjx

Canela disse...

Mas o que é que eu fiz desta vez?!
Nada. Rigorosamente nada!
Aquela menina muito linda, muito grávida e extraordinariamente voluntariosa é que pôs tudo em "pratos limpos". Lá, também existem pessoas assim... absolutamente lindas!
Ter-te como amiga para mim é uma dádiva! Agradeço diariamente a Deus os amigos fantásticos que tenho. Por vezes nem sei se os mereço, pelo pouco tempo que lhes dedico. Mas, sei que os amo profundamente, mesmo quando pareço ausente.
Como disse à S. nunca haverá distância (espacial ou temporal) que nos separe. Adoro-vos
Beijinhos para os meus três amores