domingo, março 30, 2008

Feliz Aniversário Doce Trovador

Um poema cresce inseguramente
na confusão da carne,
sobe ainda sem palavras, só ferocidade e gosto,
talvez como sangue
ou sombra de sangue pelos canais do ser.

Fora existe o mundo. Fora, a esplêndida violência
ou os bagos de uva de onde nascem
as raízes minúsculas do sol.
Fora, os corpos genuínos e inalteráveis
do nosso amor,
os rios, a grande paz exterior das coisas,
as folhas dormindo o silêncio,
as sementes à beira do vento,
- a hora teatral da posse.
E o poema cresce tomando tudo em seu regaço.

E já nenhum poder destrói o poema.
Insustentável, único,
invade as órbitas, a face amorfa das paredes,
a miséria dos minutos,
a força sustida das coisas,
a redonda e livre harmonia do mundo.

- Em baixo o instrumento perplexo ignora
a espinha do mistério.
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.



Herberto Helder in “Sobre um Poema”
Pintura de Graça Morais “O Sagrado e o Profano – O Interdito Transformado”



Crescemos «contra o tempo e a carne», com dois corações à distância de uma mão.
Obrigada por tudo.
Que a branda serenata do universo te envolva em eterno amor.
Que tenhas um Feliz aniversário Doce Trovador.


Canela



2 comentários:

trovador disse...

Ahh, Canela! Minha grande amiga!
Já és toda especial pra mim...
Já vale mais que ouro incrustado com diamantes.

Tem todo um lote reservado pra construção de condominios super caros no meu coração!

Tu e toda sua linda familia, familia linda...

Assim que puder lhe respondo o email, mas aqui não podia deixar de responder, mesmo que eu chegue um pouco atrasado...

Bejos
Te adoro do fudno do meu coração, doce Canela!

Au revoir o/

Canela disse...

Obrigada meu doce Trovador!
Preciso de tão pouco para viver e ser feliz! Só preciso mesmo de quem amo.
Eu também te adoro com todo o meu coração.
Beijinhos Doce Trovador